21 de Março – Dia Internacional de Combate ao Racismo

Em memória ao Massacre de Shatperville, ocorrido em 21 de março de 1960, onde foram mortos aproximadamente 70 negros que manifestavam pelos seus direitos civis de ir e vir. A data hoje é lembrada pelos movimentos sociais para evidenciar o racismo ainda predominante no Brasil e no mundo. Apôs se passar 59 anos do marco em defesa da luta contra discriminação e racismo, a data foi criada pela ONU como forma de podemos ver claramente a questão do racismo ainda é encoberta.

No Brasil os dados dos institutos de pesquisas (IBGE, Infopen), apontam que a população negra recebe quase 2 vezes menos que os brancos, além de mais da metade estarem desempregados. No que se refere a segurança pública que também os dados apontam mais da metade da população carcerária é formada por negros.

Talvez para muitos de nós ainda não estejam claro o que significa a discriminação racial porque muitas das vezes ela é velada disfarçadas por brincadeiras e gestos em local de trabalho, campos de futebol, nas rodas de conversa de amigos, familiares. Por isso vale aqui destacar o que se definiu na Convenção da ONU e que o Brasil pactuou com o conceito. “Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e o exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos políticos, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida”.

Apesar de toda luta ao longo dos anos, algumas ações governamentais e atitudes de seres humanos contra o racismo precisam avançar para que a população de minorias (negros, índios, LGBT, imigrantes, dentre outros grupos), não continuem sendo a parte mais vulnerável do convívio social. Que o acesso as políticas públicas sociais, econômicas sejam igual para que todos possam viver com dignidade e segurança no Brasil e no mundo.

A Secretaria Nacional de Igualdade Social do Solidariedade, tem buscado o diálogo institucional, partidário para que possamos contribuir com uma mudança nas práticas contra a discriminação racial.