Mercado diminui projeção de crescimento para 2019 e 2020 – DCI

A estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia neste ano chegou a 1%, após 15 reduções consecutivas. Pela primeira vez, instituições entrevistadas pelo Banco Central (BC) também cortaram previsões para 2020.

Para o ano que vem, a expectativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) foi diminuída de 2,50% para 2,23%. É o que mostra o boletim Focus, divulgado ontem pelo BC. Em relação a 2019, a projeção saiu de uma expansão de 1,13%, na semana passada, para 1% esta semana. Já a estimativa para 2021 e 2022 permanece em 2,50%.

O mercado também espera uma trajetória de preços menor para 2019. As expectativas para a inflação oficial do Brasil, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu de 4,03% para 3,89% este ano, porém foi mantida em 4% para 2020 e em 3,75% para 2021 e 2022, destacou o boletim Focus.

Na última sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA desacelerou em maio, ao variar 0,13%, 0,44 ponto percentual abaixo da taxa de abril (0,57%). Esse foi o menor resultado para maio, desde o ano de 2006 (0,10%).

Taxa de juros

Para controlar a inflação, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Para o mercado financeiro, a Selic deve permanecer no seu mínimo histórico de 6,50% ao ano, até o fim de 2019.

Para o fim de 2020, a projeção caiu de 7,25% ao ano para 7%. Para o fim de 2021, a previsão passou de 8% ao ano para 7,50% e, para o final de 2022, segue em 7,50% ao ano.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada nas negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional. A manutenção da Selic este ano, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação. Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção das empresas e o consumo interno.

O boletim Focus mostrou ainda que a previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece no patamar de R$ 3,80, no fim de 2019 e de 2020.

Continue lendo