Inflação sobe para família com renda até 2,5 salários mínimos – DCI

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) – calculado pela Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre FGV) – subiu 0,67%, ficando 0,18 ponto percentual acima de fevereiro, quando teve taxa de 0,49%.

Com este resultado, o IPC-C1 – que acompanha a inflação de famílias com renda até 2,5 salários mínimos – acumula alta de 1,77% no ano e 5,42% nos últimos 12 meses. Para comparação, o IPC-Brasil subiu 0,65% em março, taxa que nos últimos 12 meses ficou em 4,88%, nível abaixo do IPC-C1.

Nesta apuração, quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo: Transportes (0,22% para 1,27%), Alimentação (0,97% para 1,23%), Vestuário (-0,04% para 0,61%) e Educação, Leitura e Recreação (-0,24% para 0,10%). Nestes grupos, destaque para os itens: gasolina (-1,85% para 3,24%), hortaliças e legumes (6,22% para 12,14%), roupas (0,06% para 0,85%) e show musical (-2,53% para 2,70%).

Já os grupos Habitação (0,40% para 0,20%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,50% para 0,25%), Despesas Diversas (0,08% para -0,15%) e Comunicação (-0,05% para -0,06%) apresentaram recuo. Nestas classes, destacam-se os itens tarifa de eletricidade residencial (1,56% para 0,17%), artigos de higiene e cuidado pessoal (0,99% para 0,34%), serviço religioso e funerário (0,94% para 0,18%) e tarifa de telefone residencial (-0,16% para -0,44%).

Continue lendo